Porque seu cachorro come cocô

12 nov, 2019

Porque seu cachorro come cocô

Howdy! Se você veio clicando até aqui é porque sabe que ter cachorro nem sempre é fácil. E às vezes temos que fazer o trabalho sujo, literalmente, lidar com cocô por exemplo.

Por mais nojento que pareça, comer fezes (a.k.a: Coprofagia), é um hábito comum de muitos cães e outros bichos fofinhos. E os porquês de nossos cachorros comerem o seu próprio ou o cocô de outros, como se fosse uma iguaria-supimpa-de-um-chef-de-Paris, varia em um amplo espectro de natureza comportamental a médica. E os problemas podem ir de um simples tédio a uma complexa diabete.

Então, pra evitar problemas maiores do que um sai-pra-lá-com-essa-boca-de-cocô é bom entender melhor sobre o problema.

Porque seu cachorro come cocô

Cachorros comem por vários motivos, mas vamos categorizá-los em dois grupos: problemas médicos (ou fisiológicos) que vão de deficiências a vermes, e problemas comportamentais.

Problemas médicos:

1 – Deficiência enzimática

Enzimas são um componente essencial do processo digestivo do seu cachorro; sem elas, ele não irá absorver os nutrientes como deveria e aí irá comer o cocô. Porque lá tem os nutrientes que ele deixou para trás e seu corpo precisa.

Cães produzem enzimas digestivas, mas às vezes elas não são suficientes para concluir o processo digestivo de maneira eficaz. Quando a alimentação canina se baseia principalmente em uma dieta altamente processada, como a ração seca com suplementos sintéticos, os nutrientes não digeridos serão eliminados nas fezes, e aí está aquela iguaria 5 estrelas que seu cachorro irá se lambuzar (e depois te beijar).

Na natureza, a dieta canina trabalha em harmonia com o ambiente. A cada estação do ano os grandes caninos, lobos, encontram uma variedade de nutrientes na natureza e essa diversidade de ingredientes, muitas vezes frescos, outras vezes em decomposição ajudam enormemente na produção de enzimas digestivas. Por exemplo: um lobo quando come sua presa, come tudo, principalmente os intestinos, porque lá ele sabe, instintivamente, que encontrará as enzimas digestivas e nutrientes que precisa para sobreviver aos intemperes da vida selvagem, que convenhamos, é muito mais dura que um passeio de final de semana no Ibira. E se você quer que seu cachorro tenha uma saúde de ferro, como a de um lobo, está na hora de começar a tomar umas decisões mais espertas sobre o que eu seu cachorro anda comendo.

2- Vermes

Estes pequenos ladrões roubam os nutrientes antes que seu cão consiga absorvê-los. Parasitas intestinais absorvem os nutrientes e formam uma “barreira” para que seu cão não aproveite quase nada do que come e aí comer o cocô é apenas o começo dos problemas. Nestes casos procure um vet para o tratamento certo!

Vermífugos não são preventivos e sim um tratamento. Encher o seu cachorro de químicos sem necessidade só irá piorar ou trazer mais problemas.

Dr.  Carol Magalhães, VMD – Nutrition Specialist

3 – Problemas que causam o aumento do apetite

Problemas endócrinos, diabetes e síndromes de má absorção podem deixar seu cachorro faminto e cachorro com fome irá comer o que encontrar pela frente, incluindo o cocô💩.

Veja mais sobre diabetes aqui.

4 – Subnutrição

Este é um ponto importante, você pode até pensar: “mas eu dou a Ração Super Premium dos Cães de Hollywood, que custa muitos dinheiros! Como ele pode estar desnutrido!? Ele está até gordinho!” É aí que mora o perigo, mesmo sendo super-mega-blaster-premium verifique se tem algum dos integrantes do “trio no mal”: Milho, Soja, Trigo. Estes três não ajudam em nada na alimentação do seu cachorro, são altamente glicêmicos e alergênicos.

Certifique-se de alimentar seu cachorro o suficiente, com comida fresca, natural e de qualidade (como a dieta da Green Buddy, por exemplo) e em horários regulares, porque longos períodos sem comer podem dar certas ideias e o cocozinho pode parecer uma boa!

Se ele está perdendo peso, mesmo com uma dieta fresca e completa, alimente-o mais! Siga um cronograma, um cachorro faminto procurará outras formas de se alimentar e geralmente você vai soltar um “eeeeewwwww” com estas novas fontes de “alimentos”.

Mas fique de olho, você precisa diferenciar um cachorro guloso e pidão de um cachorro faminto; se ele não está abaixo do peso não é este o problema e mais comida irá piorar ainda mais a situação.

Problemas comportamentais:

Já que cobrimos os principais motivos fisiológicos que causam a coprofagia, vamos aos comportamentais:

5 – Comportamento de Filhotes

Em alguns momentos na vida de um cachorro ele irá comer fezes; é meio que a ordem natural das coisas. Por exemplo: quando uma cadela limpa seus filhotes para manter o “ninho” limpo ela irá comer as fezes. E esse desejo de limpeza também pode ser passado para os filhotes e outros cães que “limpam” as suas fezes e a de outros.

À medida que os filhotes começam a ficar curiosos sobre o ambiente, podem decidir morder algumas fezes como parte do processo de exploração. Se você tem um filhotinho comendo fezes é um processo de exploração natural, só fique atento para que não criar um hábito e nunca dê broncas se o ver comendo!

Um cão mais novo também pode aprender esse comportamento com um cão mais velho, que adquiriu um gosto pelo cocô. Portanto, certifique-se de cortar o problema pela raiz, afastando seu cachorro de más influências.

6 – Tédio e Stress

Se o seu cão fica muito tempo sozinho em casa, sem muito o que fazer, e se por acaso houver algum cocô ao seu alcance, ele pode encontrar uma nova maneira de se divertir e se deliciar no processo.

Cachorros estressados também podem encontrar conforto e alívio do stress comendo cocô. Algumas pessoas fumam, outras bebem e cachorros as vezes comem cocô. Quando há stress é muito fácil adquirir maus hábitos.

7 – Necessidade de Atenção

Nossos cachorros nos amam e querem nossa atenção (às vezes toda). Se eles estão se sentindo ignorados, até arrumar confusão os agradará. No caso a atenção vem em formato de bronca e ele ainda ganha um petisco em formato de cocô. O que nos leva ao próximo tópico!

8 – Broncas e Punição

Quando damos uma bronca, nosso cachorro poderá associar o cocô como algo errado e ruim que precisa ser escondido. Ele não consegue entender que a bronca é porque ele comeu o cocô ou fez no lugar errado. Por mais espertos que sejam eles não conseguem entender este tipo de associação e depois de algumas broncas ele poderá ficar com medo e começar a fazer suas necessidades escondido, comê-las logo em seguida e até desaprender o local correto de fazer as necessidades.

Dica: Quando seu cachorro estiver fazendo cocô no lugar errado, não brigue! Se ele for pequeno tente levá-lo ao lugar certo para terminar e o parabenize no local correto. Caso não dê tempo, ignore, deixe que ele saia do local e aí você limpa sem que ele veja.

9 – VOCÊ

Sim! Você pode ser o problema. Eu sei que este tópico é mais do mesmo que falei acima, mas isso é muito importante. Principalmente para filhotinhos em fase de aprendizado. Muitas vezes é frustrante adestrar filhotes a fazerem as necessidades no lugar certo, eles irão errar e teremos que limpar e limpar, o que será cansativo. Mas quem disse que tudo só seriam flores!?

São nestes momentos que você precisará controlar a sua frustração e jamais agir de forma violenta ou dura, como esfregar o focinho nas fezes, esta é uma das principais causas que leva um filhote a começar o mau hábito de comer cocô: medo, medo de você.

Nunca dê bronca ou chame a atenção depois de ele ter feito a sujeira – isso é importante. (…) Levar o filhote para o local do crime e repreendê-lo ou, ainda, esfregar o seu focinho no local são atitudes que só agravam o problema.

Adestramento Inteligente –  Alexandre Rossi

Como solucionar o problema!

OK, existem muitas razões pelas quais seu cachorro pode ser um ávido connoisseur de cocô. Mas agora, a pergunta que não quer calar, e te levou a ler este post até aqui: “Como diabos acabamos com o problema!?”

Saúde em primeiro lugar!

Procure um veterinário de sua confiança. De preferência aquele que vai olhar o seu cachorro primeiro e fazer os testes necessários antes de te empurrar um monte de remédios e suplementos (que pra sua sorte ele tem logo ali). Peça por testes e exames para se certificar da saúde do seu cachorro antes de partir para qualquer medicação.

Tente eliminar todas as possibilidades de qualquer problema de saúde antes de tentar resolver problemas comportamentais que você acredita que sejam a causa.

Mantenha TUDO limpinho.

Fez cocô? Recolha e limpe o local imediatamente! Não dê a ele a oportunidade de pensar: “Opa! Cocôzinho fresquinho, será que será que está gostoso!?” Se você tem outros animais de estimação, limpe TUDO o mais rápido possível também. Especialmente caixas de areia. Em outras palavras, mantenha seu cachorro longe da tentação!

Dica: Geralmente cães vão ao banheiro logo após as refeições. Fique atento! Não brigue com ele se o pegar comendo só o leve para outro ambiente e limpe tudo sem que ele veja. Vamos explicar melhor mais abaixo.

Mantenha o seu cachorro ocupado.

Garanta brincadeiras regulares como “pegar a bolinha”. Procure por brinquedos que irão desenvolver seu cachorro mentalmente, aqueles que ele ficará entretido por muito tempo. Certifique-se também de que ele tenha vários brinquedos disponíveis para ajudá-lo a se divertir. Pense: “cabeça ocupada, cabeça fora do cocô”.

Ele tem muita energia? Não para por nada? Ou um é cão de trabalho? Tente algo como agility uma ou duas vezes por semana.

Se o seu cachorro esta apto a fazer exercícios físicos dobre ou triplique a quantidade de passeios. Passeios frequentes e longos gastam energia e aliviam muito o stress canino. Além disso, vai ajudar você queimar aquelas calorias extras!

Mude para uma alimentação natural de qualidade.

Repense a dieta do seu cão: ela é realmente de qualidade? Oferece uma boa variedade de ingredientes frescos como: proteínas e vegetais de qualidade e em boa variedade? Ou ele come sempre a mesma coisa? Veja a composição: tem menor teor de carboidratos e maior quantidade de fibras? Está de acordo com necessidades energéticas, idade e peso do seu cão?

Tudo isso você encontra na Alimentação Natural da Green Buddy, saiba mais aqui!

Alguns alimentos (como o abacaxi e o mamão papaia) contém enzimas digestivas naturais – respetivamente, a bromelina e a papaína, que podem ajudar no processo de digestão e melhorar o aproveitamento de nutrientes. Alimentos ricos em fibras, como variedades de abóboras, vagem e folhas verde-escuras trituradas também ajudam no processo de absorção de nutrientes. Apesar de serem super gostosos, estes alimentos deixaram as fezes com um sabor bem ruim, o que pode estragar a festa do cocô!

Dica: Introduza prebióticos e probióticos na dieta do seu cachorro! Assim você aumenta a saúde intestinal e imunidade e potencializa a capacidade de absorção de nutrientes.

Evite broncas!

Brigar, gritar, espernear e fazer chantagem emocional não vai ajudar em nada, só vai piorar a situação.

Segundo um estudo da Universidade da Califórnia, com mais de 1.500 donos de cachorros: não adianta nada brigar! O estudo também descobriu que os aditivos alimentares, sintéticos (remedinhos), usados para interromper a ingestão de cocô são eficazes em apenas 2% dos casos. Até o treinamento de reforço positivo também não foi muito eficaz. Pois é difícil para um cachorro entender que você está o parabenizando por não ter comido o cocô.

Então o que fazer? Neste caso querido pai/mãe de cachorro: é paciência e amor. O negócio é ignorar quando ele está fazendo cocô e nunca, NUNCA, nunca brigar se o pegar no ato. Neste caso você o chama num tom normal (sem fazer festa) e o coloca em outro ambiente com alguma distração que não pareça uma recompensa. E aí você volta lá e limpa sem que ele veja. Quando ele vê você limpando, caso já tenha ganhado algumas broncas, poderá associar com algo errado e aí, como falamos ele irá limpar a cena do crime.

Resumindo

A coprofagia pode ser um problema complicado de se resolver, mas longe de ser impossível. Comece eliminando causas médicas, mantenha tudo sempre limpo, seu cão ocupado, livre de stress e bem alimentado e nutrido. Seja muito paciente e consistente!

E a dura realidade é: se você não tem paciência para isso deveria ter um aquário com um goldenfish (de preferência da Pepperidge Farm).

Green Buddy – best dog food ever

Nós acreditamos que cachorro tem que comer o que a natureza tem de melhor. Em parceria com a Universidade do Colorado (nos Estados Unidos), desenvolvemos um programa onde seu cachorro pode variar a alimentação todos os dias para estar sempre saudável. Saiba mais aqui!

Se você gostou deste texto e achou que foi útil compartilhe com seus amigos. Compartilhar é a melhor maneira de ajudar.

Bibliografia:

https://www.dogsnaturallymagazine.com/16-reasons-dogs-eat-poop-and-what-to-do-about-it/

Rossi, Alexandre – Adestramento Inteligente : solução de problemas de comportamento e técnicas de adestramento / Alexandre Rossi – Sao Paulo/SP ; Saraiva 2009

Agradecimentos especiais a Dr. Carol Magalhães, VMD que nos ajudou com o texto e traduções.

Dr. Carol Magalhães, VMD é especialista em nutrição animal e medicina chinesa proprietária da clinica O Tao do Bicho, você pode conhecer mais sobre o trabalho da Dr. Carol aqui: https://otaodobicho.com.br/pt/

Lio Volino

Green Buddy Founder & Blogger. Formado pela UFMG e FGV, mora em São Paulo/SP, ama cachorros, gatos e ornitorrincos. Cansado de perder seus cachorros para o câncer decidiu fazer alguma coisa a respeito.

Deixe uma resposta